Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

13
Set18

O tom e o som

Revista Saúda

ANF_bebe_Fundão_Ago18_15.jpg

 

Não serei um hipnotizador de bebés, mas o meu tom de voz grave e masculino faz a diferença na percepção dos miúdos. A Vera é muito mais liberal. Eu também os deixo brincar, mas quando chega a altura de os chamar à razão, têm de obedecer. Eles já sabem quando o pai diz: «não falo mais sobre o assunto» têm mesmo de cumprir. Resulta mais com a Margarida, porque o Rodrigo ainda não tem muito essa percepção. Terá talvez ao ponto de saber que quando lhe falo o tom de voz faz diferença. Sinto que apreende minimamente. Ele é muito agarrado à mãe, mas sabe que gosto muito dele, só que quando falo um bocadinho mais alto, já interpreta muito bem o som e o tom e tem de acatar.

 

Hugo 

10
Set18

A “qualidade” do choro

Revista Saúda

ANF_bebe_Fundão_Ago18_31.jpg

 

Sou aquele tipo de mãe que analisa a gravidade do choro. Há o que sabemos que é mesmo de dor. Quando oiço esse, vou disparada. Os outros não. Se é um choro para chamar à atenção, ou se chora por alguma coisa que o incomoda, ou mesmo porque a Margarida está a ameaçá-lo, espero que a situação se resolva por si. Às vezes deixo-o a chorar um bocadinho, não exageradamente, depende muito das situações. Penso que vamos aprendendo a gerir cada caso conforme o tipo de choro.  

Vera 

 

06
Set18

O explorador

Revista Saúda

ANF_bebe_Fundão_Ago18_16.jpg

 

O Rodrigo é um explorador. Adora andar agarrado ao carro e todos os objectos que andem para empurrar. Está numa fase de descoberta. A Margarida tem sido uma ajuda fundamental porque fica deslumbrada com o irmão a dar os primeiros passos na vida. É o braço direito dele. É gratificante ver os nossos filhos a crescerem, mas ao mesmo tempo temos a sensação de ser depressa demais e não os aproveitar por completo. Depois de dar os primeiros passos a medo, o Rodrigo tenta ser independente. É sozinho que sobe para o carro e começa a andar com ele por iniciativa própria. Os carros da Margarida servem-lhe de apoio, há um que tem um apito, ele adora apitar para chamar à atenção. Trepa por ali acima e toca a andar. 

 

Vera        

03
Set18

Boa convivência

Revista Saúda

Vizinhança.jpg

 

 

Somos uns privilegiados por vivermos numa aldeia com tão boa vizinhança. Somos muito mimados por todos. Quando faltam ovos caseiros ou pensos rápidos os vizinhos estão sempre prontos a dar uma mãozinha, dão qualquer coisa de seu. Seja produtos da horta, ou fruta dos pomares: pêssegos, figos, cerejas. A desculpa são os nossos pequenos. São as cerejas para a Margarida, as abóboras e cenouras para a sopa do Rodrigo. Nós tentamos mimá-los de volta. Às vezes faço um bolo para retribuir estas gentilezas. O espírito comunitário prevalece. 

Vera   

31
Ago18

As tardes na piscina

Revista Saúda

DSC07442.JPG 

Comprámos, recentemente, um centro de jogos que tem divertido tanto o Rodrigo como a Margarida. São duas piscinas com um escorrega ao meio, bolas e arcos para eles brincarem. Tanto um como o outro adoram lá estar e, por isso, sempre que chegamos a casa, após mais um dia de trabalho e escola, aproveitamos o resto da tarde para estar na piscina, com sol e água quentinha. É uma alegria constante! 
Tudo o que fazemos é pelos nossos filhos, e para que cresçam bem e felizes.

Vera

28
Ago18

Cheirinho de mãe

Revista Saúda

mrf20170831_MG_192800084.jpg

Quando chega a noite e me deito, o Rodrigo adormece comigo na cama mas se me volto para o outro lado da cama, ele também se volta no mesmo sentido. Acredito que é por causa do meu cheiro, ele sente que a mãe está ali. Por este motivo gostava de tentar mudá-lo para o próprio quarto para ver se ele se adaptava e não ficava tão dependente do cheiro e do contacto da mãe. Até já cheguei a experimentar pôr uma camisola minha, quando ele está na cama, mas não resultou.

Quando foi com a Margarida este processo foi tão diferente, aos cinco meses ela já estava a dormir no próprio quarto. Acordava só uma vez durante a noite, e eu, claro, levantava-me, dava-lhe de mamar e voltava a deitá-la. Ela voltava a dormir, mas o Rodrigo é muito, muito diferente.

Vera

25
Ago18

Levanta-te mãe

Revista Saúda

 

ANF_bebe_Fundão_50.jpg

O Rodrigo está numa fase em que anda muito apegado à mãe e acorda muitas vezes durante a noite. Já falamos em pô-lo a dormir no próprio quarto, mas, sinceramente, ainda não estou a ver a Vera a deslocar-se ao quarto do Rodrigo três ou quatro vezes por noite… Ainda é mais confortável ter o berço no nosso quarto. É um processo progressivo. Talvez durante este Verão se faça a mudança.

Hugo

21
Ago18

Feliz aniversário, amor pequenino

Revista Saúda

ANF_bebe_aniversario.jpg

O nosso Rodrigo faz amanhã um ano de vida. Neste primeiro ano aprendemos que, de facto, o amor de pai e mãe é um amor incondicional. Somos capazes de mover montanhas e fazer de tudo para ver os nossos filhos felizes.

O Rodrigo está a crescer a olhos vistos e, por isso, o balanço é muito positivo. É um menino atento a tudo o que o rodeia: ora aponta para o quer ora bate palmas. Sempre que ouve música começa a dançar.

Também já é capaz de dizer as palavras «Mãe», «Pai», «Avô», «Olá», «Papá», «Cá» (que significa «Dá cá» e «Anda cá»), entre muitas outras que ainda são imperceptíveis. Está tão crescido que até já é capaz de agarrar no apito da irmã fazendo soar umas boas apitadelas.

Para já, anda pela casa toda arrastando o rabo no chão. Com muitas risadas e gritinhos à mistura lá vai dando uns primeiros passos.

A ti, nosso guerreiro, desejamos-te um FELIZ ANIVERSÁRIO. Desejamos que tenhas uma vida cheia de saúde e felicidade. Nós estaremos sempre ao teu lado para te acompanhar em todos os momentos da tua Vida.


Com muito amor dos teus pais e manas, Rita e Margarida. 

Vera Antunes e Hugo Silva

Publicidade

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D