Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

24
Fev19

«Paaai!»

Revista Saúda

BebeSauda_Dinis_IMG_7724.jpg

Quando acorda, o Dinis tem um hábito muito engraçado: chama insistentemente pelo pai. Muitas vezes, sai da nossa cama e vai a correr para a casa de banho à procura do Luís. Para minha surpresa, admito, o Dinis criou uma ligação muito forte com o pai desde muito pequenino. Quando o pai vai trabalhar ou às compras, ele chora – e não é pouco!
Quando o Miguel era bebé chamava mais por mim e, por vezes, até rejeitava o colo do pai nos momentos quando precisava, por exemplo, de ir à casa de banho ou na hora do banho. É caso para dizer que o Miguel é mais menino da mamã e o Dinis é do papá.

Zara

07
Fev19

Novo emprego, novos desafios

Revista Saúda

mrf19011700043.jpg

A mudança de emprego trouxe-nos novos desafios enquanto pais. A mim fez-me ter de planear ainda melhor o final do dia. Tudo para garantir que consigo estar em casa quando é preciso. Coordenamo-nos de forma a que um de nós possa estar presente para dar-lhe o banho ou o jantar.
No novo emprego o Diogo ficou a trabalhar no centro da cidade e, por isso, demora mais tempo por causa do trânsito.
Se fizermos o paralelismo com outras sociedades em que os trabalhadores saem do emprego às 16h30 ou às 17h00 e têm mais tempo livre para as crianças, é caso para dizer que em Portugal, toda esta gestão é um desafio.
Tanto eu como o Diogo saíamos pelas 19h00 o que significa que quando chegamos a casa temos duas horas e meia em que o nosso filho está acordado… Se pensar em tudo isto a frio dá-me alguma pena.
Felizmente estamos a trabalhar em empresas que privilegiam a flexibilidade e, por isso, quando precisamos de sair mais cedo ou passar um dia em casa não existe qualquer problema.
Ana

22
Jan19

Ano novo, vida nova

Revista Saúda

Post XX.01.19 - A família tem novos horários.jpg

Desde que a Ana passou a levar os meninos à escola a minha rotina alterou drasticamente. Consigo chegar ao trabalho mais cedo e depois tento chegar a casa um pouco mais cedo. Na sequência disso, conseguimos dar o banho e o jantar mais cedo aos miúdos. Depois eu leio uma história aos meninos e temos usado uma nova estratégia na hora de dormir. Adormecemos os miúdos em quartos separados, eu adormeço o Daniel e a Ana fica com a Margarida. Tem funcionado. Eles adormecem bem mais rápido e quando olhamos para o relógio a pensar que é meia noite ainda são 22 horas! Eles têm os horários perfeitamente ajustados ao dia-a-dia escolar e sobra mais tempo para nós.
Daniel

05
Jan19

Tudo mudou

Revista Saúda

BebeSaudaDinis_TVC2001.jpg

Nos últimos tempos tudo mudou por causa das minhas novas rotinas. Por diversas vezes, é o Luís que leva o Miguel e o Dinis à escola, enquanto eu fico em casa a despachar-me (tomar banho, vestir) para ir para a farmácia estagiar.
Ao fim do dia, quando chegamos a casa, enquanto o Luís dá atenção ao Miguel, seja a fazer desenhos ou a conversar com ele sobre o que aconteceu na escola, eu foco-me no Dinis. Dou-lhe banho e logo a seguir brinco com ele no quarto.
Ao fim de semana, quando o Luís não está a trabalhar, aproveitamos para namorar um pouco enquanto os “pirralhos” dormem.

Zara

27
Nov18

O ano das rotinas

Revista Saúda

Net_ANF_bebe_StaCruz31.jpg

 

Ao completar um ano de vida o bebé traz para a família outros hábitos importantes. Estamos a ensinar o Rodrigo a lavar os dentes e isso fará parte da rotina do final do dia. Ele está a começar a dizer adeus às coisas. Dizemos adeus aos brinquedos antes de irmos para o quarto descansar. Isso são coisas que ele agora compreende melhor. De vez em quando telefonamos para os avós, ele gosta e diz-lhes: olá, adeus e manda beijinhos. Mas isso faz para toda a gente. É muito charmoso.   

Ana e Diogo

 

14
Out18

Mudança de planos

Revista Saúda

 

Mag_048.JPG

A minha ideia inicial era que a Margarida e o Daniel partilhassem um quarto, mas ultimamente o nosso pequeno tem tido noites muito agitadas por causa dos terrores nocturnos.
Penso que será positivo tanto para um como para o outro que cada um tenha um quarto. Até ao final do ano vou organizar e preparar o espaço da Margarida. De certa maneira desisti da ideia de partilharem tudo, mas não totalmente.  Estamos empenhados em ensinar ao Daniel que os brinquedos são dele e da irmã.  
Por outro lado, conversei com a pediatra e percebi que é preciso quebrar este ciclo das mamadas nocturnas… Quem sabe se ao ficar em quarto próprio, a Margarida não passa a dormir a noite inteira e torna-se mais independente. Vamos fazer figas!   


Ana

30
Jun18

Dolce Far Niente

Revista Saúda

 

 

2_dia013.jpg

Ao fim de semana, as rotinas mudaram. As nossas manhãs de sábado são, agora, mais especiais pois são manhãs de Dolce Far Niente.

A Margarida e o Daniel, assim que acordam, querem logo vir para a nossa cama. Ficamos deitados os quatros, tentando que o Daniel fique sossegado o máximo de tempo possível. Quando ele decide que quer levantar-se, aí eu não tenho outro remédio se não levantar e ficar com ele.
Acima de tudo, estes são momentos de tranquilidade que desfrutamos em família. A mim sabem-me particularmente bem pois, durante a semana, as saudades vão-se acumulando. É sempre bom estar com a Ana e os nossos filhos.

Daniel

03
Mai18

Um Rodrigo guloso e rotineiro

Revista Saúda

 

ANF_Bebe_Fundão_019_net19.jpg

 

Ao princípio o Rodrigo não gostou de papa por aí além. Quando é comigo parece que chora um bocadinho mais. Como sou eu a dar o peito isto acontece muitas vezes. Com o Hugo e com a minha mãe, não. De resto come bem, graças a Deus. As últimas vezes tem choramingado um pouco a comer e acaba por não comer tudo, principalmente se sair da hora dele. Se comer ao meio dia, meio dia e meia não há grandes chatices, se sair do horário dele já reclama.Quanto a preferências gosta bastante de banana e de sumo da laranja.  Nas sopas ainda só introduzi frango e coelho e gostou muito do último. Gosta quando faço a sopa com batata doce. Como tem prisão de ventre vou alternando a base da sopa entre cenoura e abóbora, noto que a cenoura prende mais. Até porque ele não é muito adepto de água e agarra mais facilmente na mama do que no biberon, tem que ser à força. Vai trincando com as gengivas e acaba por ir bebendo um bocadinho de água. O leite materno continua no pódio das preferências e continua a pedir muito a mama depois de comer. Se estiver comigo pede várias vezes ao dia. Choraminga, dou-lhe a mama e cala-se. E fica bem, nem que seja um minutinho. É como se o leite materno fosse um miminho. 

Vera 

Publicidade

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D