Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

06
Jul18

Picadas de insecto

Revista Saúda

 

 

Farmacéutica.jpg

 

Uma das formas mais convencionais para prevenir as picadas de insecto é utilizar repelentes. Embora não matem os insectos evitam a aproximação durante algumas horas. Existem repelentes próprios para crianças e devem ser aplicados por um adulto. Consoante a indicação, podem ser colocados na roupa ou sobre a pele do bebé, mas nunca sobre pele irritada ou ferida.

 

Convém ter alguns cuidados para manter os insectos à distância:

  • Não abrir as janelas com as luzes de casa acesas, uma vez que irá atrair insectos. Quando possível, usar redes mosquiteiras nas janelas
  • Cubra a cama e o carrinho do bebé com uma rede mosquiteira
  • Evite passear próximo de rios, lagos ou barragens ao amanhecer ou entardecer
  • Opte por vestir roupas largas e claras que tapem braços e pernas
  • Manter a calma se vir uma abelha ou vespa, uma vez que estas só ferram quando se sentem ameaçadas.

Como tratar a picada?

Coloque gelo ou compressas frias para aliviar a dor e a comichão, e se necessário aplique uma loção calmante sobre a pele. Também pode ser necessário a toma ou a aplicação local de um analgésico ou de um antialérgico.

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

22
Jun18

A primeira mala de viagem do bebé

Revista Saúda

IMG_5849.jpg

Aproximam-se as primeiras férias do bebé e há produtos que não podem faltar na mala:


- Repelente adequado à idade da criança e/ou uma rede mosquiteira, para proteger contra as picadas dos insectos;
- Protector solar mineral, óculos escuros e chapéu de aba larga;
-Água termal para hidratar, aliviar e proteger a pele frágil do bebé nos dias de maior calor;
- Creme hidratante rosto e corpo para aplicar depois da exposição solar;
- Creme de arnica para eventuais nódoas negras; 
- Desinfectante e pensos rápidos para as feridas;

Boas férias e lembre-se que o importante é descomplicar!

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

08
Jun18

A Protecção solar e o bebé

Revista Saúda

 

IMG_5849.jpg

 Com a chegada do Verão, as idas à praia passam a fazer parte da rotina.

Escolher o melhor protector solar muitas vezes não implica escolher o melhor produto de todos, mas o que melhor se adequa ao tipo de pele e à situação em questão.


Para a pele do bebé e crianças até aos 3 anos, está indicado um protector mineral porque como não é absorvido pela pele, o risco de provocar uma reacção é baixo. Vai formar uma barreira física na pele que reflecte os raios solares sem os absorver. O uso de protector é só uma parte da protecção solar, pelo que é muito importante seguir os seguintes cuidados:

• Evite a exposição solar nas horas de maior incidência de raios UV, entre as 11h e as16h30
• Ofereça líquidos aos pequeninos
• Ponha o protector de 2 em 2 horas e após o banho
• Use chapéu de aba larga, guarda-sol e óculos de sol
• Ponha protector solar antes de sair de casa
Após a praia, depois do banho aplique um cuidado hidratante pós-solar na pele, porque vai ter uma acção calmante e suavizante.

Luísa Lear, Farmacêutica

www.afarmaceutica.pt

01
Jun18

Pais que brincam são os melhores

Revista Saúda

 

 

Brincar é um direito fundamental de todas as crianças, imprescindível para um crescimento saudável e feliz.

Apesar de parecer ser apenas uma questão de bom senso (que o é, na verdade), actualmente existe bastante investigação relativamente à importância do brincar no desenvolvimento das crianças. Este é um processo que assenta, basicamente, no estabelecimento de relações afectivas e apropriadas com os outros e com o mundo que rodeia a criança, pelo que a forma mais correcta e genuína disso acontecer é mesmo através das brincadeiras. Só assim se consegue alcançar o bem-estar físico, intelectual, social e emocional de que todas as crianças precisam para atingir o seu potencial e, acima de tudo, ser felizes.

É certo que existem algumas dificuldades no dia-a-dia, nomeadamente a falta de tempo dos pais ou das crianças (entre escola e actividades extracurriculares, nem sempre sobra muito tempo disponível) e o facto de muitos pais não saberem como brincar com os filhos. No entanto, aqui ficam algumas reflexões que devem ser levadas bem a sério por todas as pessoas que lidam com crianças:
• A brincadeira livre e não estruturada (ou seja, não dirigida pelos adultos) é uma componente essencial e saudável da infância
• O brincar activo (em detrimento do entretenimento passivo) é muito mais agradável para todos e muito mais importante para o desenvolvimento das crianças
• Os pais que brincam são melhores pais e isso é uma verdade indiscutível
• A ideia de que dirigir o tempo apenas para o desempenho académico é mais útil e proveitoso no futuro é completamente errada, perversa e prejudicial para as crianças
• A partilha de prazer é essencial para uma infância saudável e o suporte para um percurso de sucesso A única forma de termos pais e filhos felizes é através das brincadeiras e dos tempos que passam juntos. Isso tem que ser uma regra e não momentos de excepção. 

 

Hugo Rodrigues, pediatra

18
Mai18

Cuidar dos acessórios do bebé

Revista Saúda

Farmacéutica.jpg

 

Além de adequados à idade do bebé, é importante manter os acessórios utilizados em boas condições, para garantir o bem-estar e a segurança dos mais pequenos.

Lave os biberões logo a seguir a cada utilização com água quente, detergente e um escovilhão apropriado para remover todos os resíduos. Enxague bem todas as peças e esterilize-as nos primeiros meses de vida do bebé. Em seguida, deixe as peças secarem na posição invertida. Depois de secos mantenha-os fechados, com a tetina virada para dentro e a tampa protectora colocada.

A chupeta deve estar limpa, lavando-a quando cair ao chão ou tocar em superfícies, é aconselhável esterilizá-la antes de ser utlizada pela primeira vez.

Está na hora de substituir os acessórios, quando a borracha das chupetas e tetinas começa a ficar pegajosa ou esbranquiçada, e no caso dos biberões de plástico, quando começam a ficar baços ou a perder as marcações dos números.

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmaceutica.pt

Publicidade

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D