Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

14
Set18

Livres de piolhos

Revista Saúda

Farmacéutica.jpg

 

 

Os pais com filhos a frequentar a escola recebem por vezes alertas sobre a existência de crianças com piolhos e lêndeas.

Este micro-bicho passeia de cabeça em cabeça quando estas se aproximam e encostam durante as brincadeiras, também através de escovas, chapéus, almofadas ou lençóis.

A maioria da vezes é quase sempre a comichão que os denuncia.

Assim deve começar por procurar os piolhos atrás das orelhas e na nuca (os sítios preferidos deste parasita). Passe nos cabelos um pente apropriado, daqueles com os dentes muito finos:

  • Lave o cabelo e aplique amaciador em abundância, para facilitar o despreendimento do piolho ou da lêndea,
  • Desembarace o cabelo ainda húmido, dividindo-o em secções;
  • Penteie cada madeixa, da raiz às pontas, com o pente;
  • A cada passagem, limpe o pente a um lenço branco, os piolhos vêm-se facilmente, as lêndeas são mais resistentes fixando-se aos cabelos.

Se este micro parasita andar a passear na cabeça há antiparasitários, sob a forma de champô, creme, loção e espuma, ou pentes eletrónicos.

Estes produtos são aplicados no cabelo e couro cabeludo, atrás das orelhas e nuca, depois de algum tempo de pose passa-se com o pente fino para remover os piolhos e lêndeas.

Quando indicada uma segunda aplicação deve-se aguardar sete a dez dias.

Deve aconselhar-se com o seu farmacêutico para garantir o uso correcto de forma a assegurar a eficácia do tratamento.

Para prevenir o contágio:

  • Evite o contacto directo entre cabeças,
  • Verifique a cabeça de toda a família,
  • Lave o vestuário e roupas de cama a 60ºC,

Guarde o que não pode ser lavado em sacos durante duas semanas (A roupa ou acessórios que não se podem lavar a 60 graus, por exemplo alguns chapéus, casacos com capuz ou pêlo, bandoletes podem ficar fechadas num saco pois assim os piolhos morrem por asfixia, E depois ao fim desse tempo retira-se as peças e deita-se o saco no lixo)

Tudo isto porque basta sobreviver um único piolho para que a praga aconteça.

Os piolhos não voam mas sabem nadar, por isso é tão importante seguir a regra da touca quando se vai à piscina.

Deixe o preconceito de lado e informe a professora se o seu filho apanhou piolhos. Porque ao contrário dos humanos os piolhos não são preconceituosos e não fazem a distinção entre cabeças sujas e lavadas, assim conseguimos melhor cuidar da saúde dos nossos filhos.

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

 

31
Ago18

A febre é apenas um sintoma

Revista Saúda

Farmacéutica.jpg

 

A temperatura do corpo humano é de cerca de 37ºC. Se a criança estiver muito agasalhada ou num ambiente quente é provável que a temperatura corporal suba: “está quentinha” e tem as bochechas vermelhas.

Considera-se febre se os valores medidos de temperatura:

Rectal for superior a 38,0°C
Oral for superior a 37,5 °C
Axilar for superior a 37,2 °C
Timpânica for superior a 38,0 °C

 

Para saber se a criança tem febre não basta pôr a mão na testa, importa saber o valor da temperatura utilizando um termómetro para medir, lendo o folheto informativo que o acompanha.

Como medir?

A temperatura rectal é o método mais rigoroso, deite a criança de costas e introduza a ponta flexível do termómetro (de gálio ou digital) em cerca de 3 cm do ânus, num trajecto paralelo às costas da criança. A leitura com o termómetro digital faz-se ao 1º toque e, com o termómetro de gálio aos 3 minutos.

 

 Vale a pena recorrer a um serviço de saúde?

 

Sim, vale sempre a pena ir ao médico, porque só ele pode despistar outras possíveis causas para os sintomas que a febre pode esconder. Deve ir ao médico quando:

 

  • O bebé tiver menos de dois meses de idade (de idade corrigida se nasceu prematuro)
  • Se tiver idade inferior a seis meses com temperaturas iguais ou superiores a 40°C
  • Se tiver temperaturas axilares superiores a 40,0°C ou rectais superiores a 41°C
  • Se tem uma doença crónica grave

 

  • Se tem febre há cinco ou mais dias, ou se a febre reaparecer após 2 a 3 dias de temperaturas normais
  • Se houver outros sintomas associados como: náuseas, sonolência, vómitos, diarreia, dificuldade em engolir ou falta de apetite, dor de ouvidos, rigidez no pescoço, apatia, dificuldades respiratórias, manchas ou borbulhas na pele, dores nas articulações, convulsão, urina turva e/ou com mau cheiro.

Tomar um antipirético (diminui a febre) recomendado pelo pediatra na dose prescrita, medida com rigor, cumprindo os horários e intervalos entre as tomas. A criança deve beber bastantes líquidos, usar roupa leve, repousar em ambiente com temperatura amena, aplicar pachos de água fria várias vezes ao dia.

Não medique sem consultar o seu médico ou farmacêutico. Se necessário contacte o Centro de Contacto SNS 24 (808 24 24 24)

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

27
Jul18

A febre um mecanismo de defesa

Revista Saúda

A febre é um mecanismo de defesa do nosso organismo. Tem dois propósitos essenciais. O primeiro é tentar optimizar as nossas defesas, para que elas fiquem mais activas e mais capazes de combater a infecção. O outro é tentar diminuir um pouco a capacidade de invasão de micro-organismos porque elevando a temperatura corporal vai fazer com que alguns deles fiquem menos capazes de invadir as nossas células e de provocar estragos. 

 

20
Jul18

Boiões de alimentação infantil, sim ou não?

Revista Saúda

 

 

Farmacéutica.jpg

 

Quando se está de viagem ou férias, e não foi possível levar comida de casa para o bebé; se depois de ir buscar os mais pequenos e enfrentar a azáfama do final de dia não sobra tempo para fazer o jantar, e a cereja no topo do bolo é o cesto da fruta vazio, o importante é descomplicar, e deitar para trás das costas, todos os sentimentos de culpa. Para estes momentos nada como optar pelos boiões de alimentação infantil reservados apenas para uma situação SOS. O fabrico de refeições industriais infantis segue regras rigorosas de segurança, e está sujeito a um elevado controlo de qualidade. No entanto é importante os pais lerem os rótulos e verificarem se os boiões de legumes, carne ou peixe têm ou não adicionado sal, assim como os de fruta não devem ter a adição de açúcares - apenas os açúcares naturalmente presentes na fruta. Também devem confirmar junto do pediatra, se os ingredientes presentes nos boiões são adequados ao bebé.  

 

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

06
Jul18

Picadas de insecto

Revista Saúda

 

 

Farmacéutica.jpg

 

Uma das formas mais convencionais para prevenir as picadas de insecto é utilizar repelentes. Embora não matem os insectos evitam a aproximação durante algumas horas. Existem repelentes próprios para crianças e devem ser aplicados por um adulto. Consoante a indicação, podem ser colocados na roupa ou sobre a pele do bebé, mas nunca sobre pele irritada ou ferida.

 

Convém ter alguns cuidados para manter os insectos à distância:

  • Não abrir as janelas com as luzes de casa acesas, uma vez que irá atrair insectos. Quando possível, usar redes mosquiteiras nas janelas
  • Cubra a cama e o carrinho do bebé com uma rede mosquiteira
  • Evite passear próximo de rios, lagos ou barragens ao amanhecer ou entardecer
  • Opte por vestir roupas largas e claras que tapem braços e pernas
  • Manter a calma se vir uma abelha ou vespa, uma vez que estas só ferram quando se sentem ameaçadas.

Como tratar a picada?

Coloque gelo ou compressas frias para aliviar a dor e a comichão, e se necessário aplique uma loção calmante sobre a pele. Também pode ser necessário a toma ou a aplicação local de um analgésico ou de um antialérgico.

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

22
Jun18

A primeira mala de viagem do bebé

Revista Saúda

IMG_5849.jpg

Aproximam-se as primeiras férias do bebé e há produtos que não podem faltar na mala:


- Repelente adequado à idade da criança e/ou uma rede mosquiteira, para proteger contra as picadas dos insectos;
- Protector solar mineral, óculos escuros e chapéu de aba larga;
-Água termal para hidratar, aliviar e proteger a pele frágil do bebé nos dias de maior calor;
- Creme hidratante rosto e corpo para aplicar depois da exposição solar;
- Creme de arnica para eventuais nódoas negras; 
- Desinfectante e pensos rápidos para as feridas;

Boas férias e lembre-se que o importante é descomplicar!

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

Publicidade

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D