Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

17
Out18

O pai é fixe!

Revista Saúda

Mag_071.JPG

O tempo em que consigo estar com os meus filhos é pouco. Nessa minha janela de oportunidade procuro não passar o tempo inteiro a mandar vir com eles e a corrigi-los. Se eu puder fazer palhaçadas para ganhar mais uns créditos extra... Tenho um medo terrível que eles não gostem de mim e do Benfica, não necessariamente por esta ordem [risos].

Tento é não fazer nada que eles possam ver como adverso. Prefiro que pensem: «O pai só traz coisas fixes». É a história do polícia bom e o polícia mau. Mas, atenção, quando for preciso eu vou dizer-lhes «não». Isto de ser um pai ‘fixe’ é só nesta fase inicial.

Daniel

10
Out18

A pausa merecida

Revista Saúda

Mag_090.JPG

Com a ida da Margarida para a creche fiquei com mais tempo para mim. Nesta primeira fase vou descansar, cuidar de mim e meter em dia as minhas leituras. Pelo menos até ao Natal vou fazer uma pausa. Quanto ao futuro logo se vê, acredito que com o tempo tudo acaba por se encaixar… Nestes dois últimos anos dediquei-me inteiramente às crianças. Agora vou dedicar-me mais a mim por umas boas semanas. Eu mereço! 

 

Ana

09
Out18

Primeiras diabruras

Revista Saúda

BebeDinisif_TVC3634.jpg

O Dinis já faz umas boas diabruras. Não pára e tenta mexer em tudo. Até já aconteceu abrir o armário da casa de banho e deitar para o chão tudo o que lá estava dentro. Tem um espírito brincalhão e já faz as coisas com intenção de provocar. Uma travessura que ele faz regularmente é derramar o copo de água do irmão. O engraçado é que ele só faz isto para ver a nossa reacção.


Luís

01
Set18

Adeus ovo!

Revista Saúda

IMG_0822.JPG

Substituímos o ovo do Rodrigo por uma cadeira. Ele já estava muito crescido e nunca esteve muito confortável nele... Optámos por uma cadeira que permite que vá em três posições diferentes em termos de inclinação, do mais sentado ao mais deitado. Estivemos a ler sobre o assunto e percebemos que a forma mais segura dos bebés e crianças viajarem é virados de costas para a marcha pois em caso de acidente o impacto é muito menor. Por essa razão comprámos uma cadeira que permite essa opção e é nela que o Rodrigo ficará até ter 1,05m (a altura máxima da cadeira). Também escolhemos uma cor clara pois durante o Verão fica menos quente e torna-se mais fresca.

Ele sente-se bastante confortável nela e já tem dormido umas belas sonecas, como se pode ver pela fotografia.


Diogo 

28
Ago18

Passeio musical

Revista Saúda

 

IMG_1085.JPG

Decidimos experimentar uma nova actividade com o Rodrigo. Agora que ele está mais crescido fomos até ao Oceanário de Lisboa para ver um concerto para bebés. O concerto foi muito giro e interactivo e o Rodrigo adorou poder tocar alguns instrumentos musicais que estavam ao dispor das crianças. Quando o concerto acabou fizemos o resto da visita. Ele adorou ver os pinguins e os peixes que foi encontrando nas grandes “janelas” que dão para o aquário central. Não conseguimos contar a quantidade de vezes que disse «ahhh!» admirado com tudo o que via.

Para o Diogo também foi um excelente programa pois ele adora ver espécies diferentes.

Quando saímos de lá prometemos que haveríamos de voltar. E vamos reservar já porque os concertos são tão concorridos que são vários meses de espera até chegar a nossa vez. Mas vale bem a pena!

IMG_1079.JPG

 

IMG_1089.JPG

 

Ana 

28
Ago18

Cheirinho de mãe

Revista Saúda

mrf20170831_MG_192800084.jpg

Quando chega a noite e me deito, o Rodrigo adormece comigo na cama mas se me volto para o outro lado da cama, ele também se volta no mesmo sentido. Acredito que é por causa do meu cheiro, ele sente que a mãe está ali. Por este motivo gostava de tentar mudá-lo para o próprio quarto para ver se ele se adaptava e não ficava tão dependente do cheiro e do contacto da mãe. Até já cheguei a experimentar pôr uma camisola minha, quando ele está na cama, mas não resultou.

Quando foi com a Margarida este processo foi tão diferente, aos cinco meses ela já estava a dormir no próprio quarto. Acordava só uma vez durante a noite, e eu, claro, levantava-me, dava-lhe de mamar e voltava a deitá-la. Ela voltava a dormir, mas o Rodrigo é muito, muito diferente.

Vera

21
Ago18

Passeios no parque

Revista Saúda

mrf20180405_MG_864500065.jpg

Pelo que temos vindo a perceber em Portugal não é muito comum existirem grupos onde os pais se juntam para de vez em quando passearem com os filhos. Talvez isso aconteça também porque as licenças de parentalidade são mais reduzidas que noutros países (como é o caso do norte da Europa).

De qualquer forma tivemos a sorte de conseguirmos encontrar algumas mães com disponibilidade e, de vez em quando, reunimo-nos num parque, ao ar livre. Esta convivência é muito saudável para os nossos bebés que interagem entre eles e muito útil também para nós como pais, pois permite que partilhemos as nossas dúvidas com outras pessoas que estão a viver a mesma situação que nós.

Ana

14
Ago18

Rodrigo, o baterista

Revista Saúda

O nosso bebé gosta muito de música e reage muito bem a esse estímulo. Ultimamente temos-lhe dado um conjunto de instrumentos que ele gosta muito de tocar como o metalofone, a maraca ou a pandeireta. Mas o preferido dele é a bateria.

Basta dar-lhe umas baquetas para a mão e é vê-lo feliz. Ainda por cima a minha irmã resolveu oferecer-lhe uma bateria no aniversário e é vê-lo todo contente a utilizá-la. Mas, claro, está reservada para a casa de praia em Santa Cruz onde o barulho incomoda menos os vizinhos. Em nossa casa eu diria que qualquer coisa serve para replicar a bateria, como podem ver pelo vídeo que partilhamos. É o nosso pequeno baterista!


Ana

12
Ago18

Ele assobia!

Revista Saúda

Este feito é inédito. Acho que nunca conhecemos nenhum bebé que assobiasse, mas o nosso filho assobia! Tudo começou com a careta que começou a fazer e com a qual ganhou a a alcunha de ‘Biquinho’. Depois disso ele começou a entender que se puxasse o ar para dentro, a boca fazia barulho e daí até ao assobio foi um instante. Agora, quando lhe pedimos para o fazer, ele assobia todo contente. E, claro, espanta meio mundo pois ninguém está à espera que ele assobie realmente. Há quem diga que ele até já assobia melhor que alguns adultos. Eu acho que é a veia musical (afinal ele quis nascer durante um concerto) a mostrar-se cedo. Acham que sim?


Diogo

Publicidade

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D