Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

26
Set17

Ela é tão observadora

Revista Saúda

 

170802 ANF bebesauda ovar rm-1171.jpg

A Margarida é muito observadora, desde muito pequenina. Numa altura em que ainda não vê quase nada estava sempre a olhar para o vazio ou para a luz. E agora parece que faz isso de uma maneira como se efectivamente estivesse a ver alguma coisa, mas não sei se estará. É giro vê-la. Aos dois meses, continua a ser uma bebé muito boazinha para dormir durante o dia enquanto à noite nem por isso… De resto é uma menina muito sossegadinha, não incomoda nada. Nem o barulho, que possa existir ao fundo, a perturba. Durante o dia, ela é tal e qual como o irmão, só que o Daniel era sossegadinho… 24 horas por dia. 

Daniel

18
Set17

Levem-me para casa!

Revista Saúda

mrf20170831_MG_169400049.jpg

Não estava previsto ir ao hospital no dia em que o Rodrigo nasceu. De segunda para terça-feira já tinha começado a ter contracções, de 10 em 10 minutos. O Rodrigo mexia-se muito e o Hugo achou que devíamos ir ao Hospital. Eu achei que não era necessário. Contra a minha vontade, e satisfazendo os desejos do pai, lá fomos. Nos registos tive a indicação de que ele estava bem mas quando fui observada pela médica fiquei a saber que tinha de ficar internada. Decidiram que o melhor era induzir o parto. Voltei a insistir e a dizer à médica que me sentia bem e que estava capaz de voltar para casa e aguardar que viessem as contracções normais. Uma enfermeira disse-me, pouco depois, que a médica já me tinha dado comprimidos e o trabalho de parto ia acelerar. Eu não queria ficar internada por duas razões: não tinha as contracções ditas normais e, sobretudo, porque não me tinha despedido da minha Margarida. Desatei num choro… mas lá fiquei.

 

Vera

23
Ago17

Gostamos muito de visitas

Revista Saúda

A vinda para casa traz sempre o mesmo pedido «quando vos podemos ver?». Toda a gente tem curiosidade em conhecer o pequeno Rodrigo! Os nossos pais, que nos visitam com frequência, têm sido uma ajuda fundamental pois trazem comida, prendinhas e ainda oferecem colo. Sabemos que nem todos os casais se sentem à vontade para ter visitas tão cedo, mas como sempre gostámos de receber amigos e família em casa temos tido muitas (e boas) visitas que nos enchem o coração. Uma dica - na vossa Farmácia comprem um desinfectante líquido e não deixem ninguém entrar sem primeiro o usar. E nada de beijinhos no bebé pois a boca tem muitos germes também. Afinal é a saúde do nosso filho que está em primeiro lugar!

Diogo Onofre

Visitas1.JPG

 

19
Ago17

O primeiro concerto

Revista Saúda

Como bebé festivaleiro que é, o Rodrigo não podia perder a oportunidade de assistir ao seu primeiro concerto, ainda por cima gratuito! Para celebrar as duas semanas de vida do nosso filho aproveitámos uma iniciativa do Centro Cultural de Belém e fomos ouvir música ao vivo para os seus jardins. O Rodrigo gostou muito e ainda fez questão de acompanhar a música com … soluços!

Diogo Onofre

Concerto2.JPG

 

15
Ago17

Menina do papá...

Revista Saúda

mrf20170706_MG_112700081.jpg

Dizem que as meninas são meninas do papá...vamos ver o que vai acontecer com a Margarida. Para já, o Daniel é um menino muito da mamã e a Margarida é umbilicalmente dependente da Ana. Confesso que não é uma coisa que me mova ou uma esperança que tenha. Não me importo nada que eles sejam os dois meninos da mamã desde que a Ana seja feliz. Há aquela expressão que diz: «Happy Wife, Happy Life», e eu sou um seguidor acérrimo dessa ideia. É muito mais fácil assim.


Daniel

25
Jul17

Sensação «Oh tempo volta pra trás»

Revista Saúda

 

IMG_20170524_043014.jpg

 Ter um recém-nascido em casa mudou o nosso quotidiano de fio a pavio. A logística é completamente diferente. O que é necessário fazer, nem se fala. Enquanto um dá banho a um, o outro dá o banho a outro. Se o Dinis está a mamar, o Miguel tem que jantar e alguém (o pai) tem que dar o jantar ao Miguel. É tudo a dobrar e voltámos um bocado atrás no tempo. Quando já passávamos noites descansadas, voltámos a passá-las em claro. É andar para trás nesse aspecto. Fora esses percalços tem sido positivo. 

Luís 

Publicidade

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D