Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

06
Jun18

Feliz aniversário, amor meu!

Revista Saúda

2_dia016.jpg

Costuma dizer-se que o tempo passa muito rápido, que voa. Nisto da maternidade tudo acontece num piscar de olhos desde o momento em que sabemos que temos um bebé na barriga àquele segundo, que muda para sempre as nossas vidas - quando vemos, pela primeira vez, o rosto do nosso filho imaginado milhões de vezes.

A minha bebé vai fazer um ano. E há um ano - ou ainda ontem! - o meu coração duplicou. Conheci o segundo amor da minha vida, tão infinito quanto o primeiro.

Parabéns, minha (nossa) filha. Não só exijo do universo que sejas sempre imensamente feliz e saudável, mas que a sorte - que esteve do teu lado desde que nasceste - nunca te abandone. E nós, teus pais e mano, vamos estar sempre onde tu estiveres. Para sempre. Feliz aniversário, amor meu!

Ana e Daniel

05
Jun18

Era uma vez...o corpo humano

Revista Saúda

 

BebeSauda_TVC6662.jpg

O Dinis é um bebé muito bem desenvolvido para a idade e já reconhece algumas partes do próprio corpo. Na escolinha incentivam-no a fazê-lo através de jogos e músicas. A cabeça é uma das partes que ele reconhece facilmente. Quando o chamamos e lhe dizemos: «Dinis onde está a cabeça?» ou «Ai Dinis, ai a minha cabeça!», ele joga automaticamente as mãos à cabeça. Quando está sentado e lhe pedimos para se pôr de pé dizendo: «Dá a mão à mamã, Dinis», ele estende-nos logo as mãozinhas.

Zara

05
Jun18

Programa de Mulheres

Revista Saúda

 

programa de mulheres .JPG

 

A profissão do Hugo exige-lhe que trabalhe por turnos e muitas vezes ao fim de semana ele não está connosco. E tenho procurado fazer programas diferentes principalmente com a Margarida. Aos domingos temos cinema gratuito na Covilhã e temos ido várias vezes com a Rita, onde não falta o balde das pipocas. São sessões matinais seguidas de um almoço a três e só de mulheres. Entretanto vamos buscar o Rodrigo que ficou com a minha mãe e um biberon de leite e vamos passear para o parque do Fundão. Agora que os dias estão maiores são muito mais proveitosos e tentamos usufruir dos tempos livres da melhor maneira. As rotinas do dia-a-dia nem sempre são fáceis de gerir em simultâneo com a vida social. Mas estamos a ver se as necessidades lúdicas não são negligenciadas.  

Vera

04
Jun18

Pai para toda a obra

Revista Saúda

 

mrf20180405_MG_847100065.jpg

 

Da licença prolongada aquilo que estou a gostar mais é da relação que estou a criar com o meu filho. Só através da vivência é que uma pessoa consegue sentir o que estou a sentir. Tenho tempo para estar com ele em todos os momentos. Desde as brincadeiras à alimentação, sem esquecer claro a troca de fraldas. A cumplicidade que existe entre ele e eu é muito grande. Conseguir entender a diferença entre um choro, um pedido, um gesto através dessa comunicação não verbal e conseguir acalmá-lo ou excitá-lo se for caso disso é incrível. A relação que estamos a criar é excepcional e eu estou a adorar. É evidente que é um relacionamento que exige que esteja sempre atento ao que se está a passar com ele.

 Diogo

03
Jun18

Desfrutar o (vosso) silêncio

Revista Saúda

Furadouro015.jpg

Cá por casa é muito raro a Margarida e o Daniel adormecerem ao mesmo tempo, mas quando isso acontece fico muito, muito quietinha. Mal me mexo, fico simplesmente a aproveitar os minutos de silêncio.

Lembro-me de uma vez em que, por acaso, isso aconteceu. Estávamos na sala e eu não tinha nem o comando da televisão perto de mim. Com medo de me levantar e fazer algum barulho que os acordasse, fiquei sentada sem me mexer. Prefiro ficar sem televisão e telemóvel e poder, nem que seja por uns breves minutos, ficar sem fazer nada e desfrutar minutos de sossego.

Ana

02
Jun18

Penteado de irmãos

Revista Saúda

Um dos momentos mais hilariantes que vivemos até agora, cá em casa, deu-se quando o Miguel decidiu pentear o Dinis. Depois de lhe termos dado banho, estava o Dinis sentado na cadeirinha pronto para jantar quando, de repente, o Miguel apareceu com um pente e uma escova na mão começando a pentear o irmão.

Fez tudo com muito cuidado e atenção, demonstrando até algum jeito! Para nós pais é fantástico assistir a estes momentos de cumplicidade e amizade entre os dois, deixa-nos muito descansados porque a relação entre eles é excelente.

Luís 

01
Jun18

Pais que brincam são os melhores

Revista Saúda

 

 

Brincar é um direito fundamental de todas as crianças, imprescindível para um crescimento saudável e feliz.

Apesar de parecer ser apenas uma questão de bom senso (que o é, na verdade), actualmente existe bastante investigação relativamente à importância do brincar no desenvolvimento das crianças. Este é um processo que assenta, basicamente, no estabelecimento de relações afectivas e apropriadas com os outros e com o mundo que rodeia a criança, pelo que a forma mais correcta e genuína disso acontecer é mesmo através das brincadeiras. Só assim se consegue alcançar o bem-estar físico, intelectual, social e emocional de que todas as crianças precisam para atingir o seu potencial e, acima de tudo, ser felizes.

É certo que existem algumas dificuldades no dia-a-dia, nomeadamente a falta de tempo dos pais ou das crianças (entre escola e actividades extracurriculares, nem sempre sobra muito tempo disponível) e o facto de muitos pais não saberem como brincar com os filhos. No entanto, aqui ficam algumas reflexões que devem ser levadas bem a sério por todas as pessoas que lidam com crianças:
• A brincadeira livre e não estruturada (ou seja, não dirigida pelos adultos) é uma componente essencial e saudável da infância
• O brincar activo (em detrimento do entretenimento passivo) é muito mais agradável para todos e muito mais importante para o desenvolvimento das crianças
• Os pais que brincam são melhores pais e isso é uma verdade indiscutível
• A ideia de que dirigir o tempo apenas para o desempenho académico é mais útil e proveitoso no futuro é completamente errada, perversa e prejudicial para as crianças
• A partilha de prazer é essencial para uma infância saudável e o suporte para um percurso de sucesso A única forma de termos pais e filhos felizes é através das brincadeiras e dos tempos que passam juntos. Isso tem que ser uma regra e não momentos de excepção. 

 

Hugo Rodrigues, pediatra

01
Jun18

O balanço do BLW

Revista Saúda

mrf20180405_MG_843800065.jpg

 Traduzido para português Baby Led Weaning (BLW) significa desmame liderado pelo bebé. É uma refeição em que ele é a autoridade, é ele que escolhe. Foi este método que escolhemos para o nosso filho. Temo-nos apercebido que cada vez mais se usa o BLW.  Consideramos este método versátil e não tem que ser aquilo ou nada. Introduz-se da mesma forma que as outras pessoas o fazem com as papas e as sopas só que aumenta bastante a independência deles a comer, o gosto pela comida e até a motricidade fina que o bebé utiliza para levar as coisas à boca. Já o comprovámos com o Rodrigo, sabemos que melhora a mastigação e a deglutição. Sabemos também que ajuda no desenvolvimento da dentição. Vemos, por exemplo, que o Rodrigo tem curiosidade pela comida e as refeições são sempre momentos agradáveis. Só não sabemos se isto se deve ao facto de ele gostar mesmo de comer ou ao BLW. O balanço é positivo. As refeições em família são sempre horas felizes.

Pág. 4/4

Publicidade

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D