Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

22
Jun18

A primeira mala de viagem do bebé

Revista Saúda

IMG_5849.jpg

Aproximam-se as primeiras férias do bebé e há produtos que não podem faltar na mala:


- Repelente adequado à idade da criança e/ou uma rede mosquiteira, para proteger contra as picadas dos insectos;
- Protector solar mineral, óculos escuros e chapéu de aba larga;
-Água termal para hidratar, aliviar e proteger a pele frágil do bebé nos dias de maior calor;
- Creme hidratante rosto e corpo para aplicar depois da exposição solar;
- Creme de arnica para eventuais nódoas negras; 
- Desinfectante e pensos rápidos para as feridas;

Boas férias e lembre-se que o importante é descomplicar!

 

Luísa Leal, Farmacêutica

www.afarmacêutica.pt

22
Jun18

Os domingos começam na piscina

Revista Saúda

 

 Desde o mês passado que o Rodrigo começou as aulas de natação ao Domingo de manhã. Normalmente é o Diogo que vai com ele para a piscina e eu fico a assistir, mas no dia da Mãe fomos os três e foi muito giro. Chapinhámos, saltámos, mergulhámos um pouquinho e ele andou entre os meus braços e os do pai. Também aproveitámos e tirámos muitas fotos e fizemos vídeos, algo que não é permitido nos dias normais. Depois da piscina o Rodrigo cai sempre ferrado a dormir, tal é a energia que gasta nesta actividade física, que lhe faz tão bem. Nós confessamos que acordar tão cedo ao Domingo também nos dá vontade de dormir a sesta com ele. E os vossos filhotes, que aulas ou exercício fazem/faziam em pequeninos?

Ana 

21
Jun18

Rapaz serrano vende saúde

Revista Saúda

 

Até agora o Rodrigo tem sido um bebé saudável, graças a Deus, e esperamos que assim continue. Às vezes tem um bocadinho de tosse, principalmente se a Margarida também está com tosse, mas nada de significativo. Nunca teve picos de febre e nunca teve nada de muito grave. Para a tosse tentamos hidratá-lo o mais possível. Como não liga muito à água dou-lhe sobretudo maminha. Tenho sempre o cuidado de lhe limpar o nariz com água do mar de manhã e à noite, ainda que ele não esteja constipado, faço sempre isso. Quando está com algum corrimento aspiro. São cuidados que ele odeia, mas que o previnem de muitos dissabores.

 Vera 

ANF_Bebe_Fundão_046_net46.jpg

 

Dizem que as crianças que se alimentam de leite materno até mais tarde são mais saudáveis. Tanto a Margarida como o Rodrigo nunca tiveram necessidade de leite adaptado. Penso que este pormenor cria outras defesas que a maior parte dos bebes que não bebem leite materno não têm.

Hugo

20
Jun18

Treinador de bancada, até ao último minuto

Revista Saúda

2_dia002.jpg

Já decidi que vou ver os jogos da nossa selecção em casa. Não é muito recomendável que os veja na rua. Sou aquele tipo de espectador que encaixa no paradigma de treinador de bancada, e que me convenço seriamente que os jogadores são capazes de ouvir as minhas espectaculares indicações, durante a partida.

Sou também muito emocional e fortemente crítico dos jogadores – porque no fundo aquilo é extremamente fácil, e, se fosse eu corria mais e marcava mais golos. E, claro, o árbitro está sempre a roubar a equipa que estou a apoiar, como é evidente.

2_dia017.jpg

Daniel

19
Jun18

Chamar a música

Revista Saúda

 

 Nesta fase, o Dinis é muito curioso com aquilo que o rodeia. Tudo serve para brincar sejam os próprios brinquedos, os do irmão ou qualquer outro objecto da casa!

Acima de tudo, ele gosta muito de coisas que façam barulho. O piano do mano é o seu objecto preferido. Ele costuma ficar junto ao móvel da sala a bater nas teclas e a “curtir” o som. Outra coisa que ele gosta muito de fazer é jogar tudo o que apanha para o chão desde carrinhos, colheres, bolas, a bonecos… Ele atira, grita e, depois, vai tentar apanhar.


Luís

18
Jun18

Um exercício de liderança

Revista Saúda

mrf20180405_MG_864500065.jpg

No livro “Pergunte ao Pediatra”, Carlos González defende «que o primeiro exercício de liderança é ter uma criança». Nós pais, acabamos por nos desenvolver como líderes porque estamos a educar um pequeno ser. Não serve de nada sermos pequenos ditadores porque isso não vai funcionar. Com um bebé vamos aprendendo a liderar pessoas, esta é uma competência que também se desenvolve. E que irá exigir ainda mais de nós a partir do momento em que ele tiver mais locomoção. Quando ele começar a correr de um lado para o outro aí vai exigir da nossa parte outras valências. A questão da liderança neste processo vai ser mais importante. Porque aí ele vai claramente perceber que pode fazer umas coisas e outras não. Vai ser um exercício giro e definitivamente será “o” desafio dos próximos meses.

Ana e Diogo 

 

17
Jun18

Família feliz

Revista Saúda

 

Viemos passar uns dias ao Alentejo e ficámos alojados num sítio que tinha uma quinta e um estábulo com muitos cavalos. Foi uma animação! O Miguel adora tudo o que é bicharada, não tem medo de nenhum animal e diverte-se imenso a dar-lhes comida. O Dinis também estava muito atento a observar tudo. Ele achava muita graça às macacadas do mano enquanto o Miguel estava a dar palha aos cavalos. Para mim e para a Zara é muito engraçado ver os nossos filhos tão animados.Apesar de ser cansativo organizar uma saída de casa, devido a toda a logística envolvente, acaba por ser gratificante ver os nossos meninos deliciados com as brincadeiras. Para nós é importante ter estes momentos, sempre que é possível, pois não só quebramos a rotina como mudamos de ares.

2018-27-05-14-58-44.jpeg

Zara e Luís

16
Jun18

Tentativas de mãe

Revista Saúda

Furadouro016.jpg

 Tenho recorrido a novas estratégias para ver se a Margarida começa a ter outras rotinas de sono, mas não tem sido nada fácil… Uma das coisas que fiz, há umas semanas, foi seguir uma teoria que defende que o bebé é colocado no berço, mas, caso chore, os pais só podem ficar perto, sem o levantar.

Tentei, e, de facto, só tenho uma coisa a dizer: os três primeiros dias foram terríveis, mas a Margarida acabou por adormecer! 

No entanto, tudo aquilo pareceu-me muito violento - talvez até mais para mim do que para ela – e, por isso, ao fim do terceiro dia, desisti.
Quando estou a deitar-me, a Margarida chora imenso e põe-se aos berros… e eu, aí, confesso-vos, choro e não é pouco. Enfim, para já, não há muito a fazer. Sei que não vou dormir tão cedo, e isso é muito frustrante. Custa muito.


Ana

Publicidade

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D