Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de Amor

Blogue das aventuras de quatro bebés e os conselhos de um pediatra.

Histórias de Amor

31
Ago17

O meu sonho

Revista Saúda

mrf20170704_MG_057800029.jpg

 

Gosto da ideia de, um dia, os nossos filhos virem a ter a nossa profissão. Aqui, no quartel dos Bombeiros do Fundão nós até temos uma escola de infantes e cadetes…gostava muito que os meus filhos enveredassem por esse caminho. Eu vim para cá com 11 anos, sempre vivi esta actividade como algo aliciante. A minha mãe nunca gostou que eu fosse bombeira por causa dos riscos da profissão, mas o que é certo é que enquanto eu estava nos bombeiros ocupada e a trabalhar não andava por aí nos cafés ou em outros sítios que, se calhar, até me poderiam ter prejudicado mais ao longo da minha vida.
Ser bombeiro é uma actividade que envolve valores especiais. Quando se é bombeiro aprendesse a actuar em equipa, ter respeito, gostar e ser capaz de ajudar o próximo. Por isso, digo e repito: não me importo que os meus filhos queiram seguir esta vida. 

Vera

30
Ago17

Ginásio, aqui vou eu!

Revista Saúda

BebeDinisANF_TVC7132.jpg

Tendencialmente sempre tive peso a mais. Na minha família, do lado paterno, há uma tendência para o excesso de peso. Andei no ginásio até ficar grávida do Dinis, fiquei lá até aos quatro meses. Mas depois em concordância com o médico que me acompanhava e face ao peso que eu já tinha, atingi os 107 quilos, decidimos que o melhor era passar a fazer caminhadas e deixar o ginásio de lado. Agora, a minha ideia é voltar para esse mesmo espaço quando o Dinis e o Miguel estiverem na escola. Há lá todo o género de aulas. Tem body pump, yoga, cycling e também máquinas. Eu costumava fazer circuito e tinha um monitor que me acompanhava, ele até se chateava comigo quando eu faltava.Neste momento estou com 90 quilos, o que não é nada mau. Comecei a controlar mais aquilo que como uma vez que estou a amamentar o Dinis e preciso que o leite seja o mais rico possível. Portanto, em Setembro, vão-me ver no ginásio.

Zara

28
Ago17

Ai de quem o dispa!

Revista Saúda

Se há algo que faz o nosso menino chorar é tirar-lhe a roupa ou mudar-lhe a fralda. Não gosta nada, abre as goelas e ninguém o pára. Os primeiros banhos também foram assim: muito choro e muito esbracejar. Só depois de estar limpinho é que relaxou e aproveitou o momento "zen". Quando nada mais resulta canto-lhe a nossa música ao ouvido e ele acalma por um bocado. No banho também costumamos colocar música a tocar e, no fim, dançamos um bocado com ele, ainda enroladinho na toalha. Esperemos que em breve despir já não lhe faça tanta confusão para também não nos fazer a nós vê-lo… chorar.

Ana 

Banho2.JPG

 

27
Ago17

Como mimar uma grávida…

Revista Saúda

 

 

Como mimar uma grávida

 

 

 

Nesta fase final da gravidez vimos muitas vezes à piscina do H2otel, em Unhais da Serra. É um lugar paradisíaco aqui no meio das serranias. Sempre que podemos gostamos de cá vir mergulhar na piscina e tratar do nosso bem-estar. Porque é um espaço muito relaxante. Não precisamos de ir à procura de uma praia a 200 ou 300 quilómetros longe de casa, porque temos um autêntico paraíso a 20 minutos de carro. Já durante a gravidez da Margarida gostávamos muito de aqui vir. Depois, com ela já cá fora, continuámos a frequentar este local. Com o Rodrigo (na barriga) também. A temperatura da água está a 20 e poucos graus, o que é muito agradável. Uma vez por outra faço uma massagem. Às vezes vimos cá passar um dia inteiro. Chegamos de manhã e vamos embora à tardinha. Temos sol, natureza e basta. Há um par de semanas estivemos aqui com a Ritinha (a filha do Hugo de uma relação anterior). Seria um programa só de mulheres, não fosse o Rodrigo estar a nadar dentro da minha barriga. É muito bom ter na vizinhança um lugar que é mesmo o que preciso nesta fase final da gravidez.  Aqui sentimo-nos de férias. Os problemas ficam lá fora. Sem dúvida.

Vera

 

 

 

23
Ago17

Gostamos muito de visitas

Revista Saúda

A vinda para casa traz sempre o mesmo pedido «quando vos podemos ver?». Toda a gente tem curiosidade em conhecer o pequeno Rodrigo! Os nossos pais, que nos visitam com frequência, têm sido uma ajuda fundamental pois trazem comida, prendinhas e ainda oferecem colo. Sabemos que nem todos os casais se sentem à vontade para ter visitas tão cedo, mas como sempre gostámos de receber amigos e família em casa temos tido muitas (e boas) visitas que nos enchem o coração. Uma dica - na vossa Farmácia comprem um desinfectante líquido e não deixem ninguém entrar sem primeiro o usar. E nada de beijinhos no bebé pois a boca tem muitos germes também. Afinal é a saúde do nosso filho que está em primeiro lugar!

Diogo Onofre

Visitas1.JPG

 

Pág. 1/4

Publicidade

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D